Ti

react2

 

Em tempos de desenvolvimento mobile, estamos sempre buscando por ciclos menores de desenvolvimento, implementações mais rápidas e melhora na performance dos nosso apps. Hoje, temos dois sistemas operacionais dominando o cenário. Desenvolvedores que criam aplicativos móveis sempre se deparam com duas questões intrigantes: criar apps que fornecem uma melhor experiência de usuário (UX) ou apps que são mais rápidos de desenvolver e rodam em um maior número de plataformas e dispositivos?

No meio dessa indecisão entre UX e facilidade de desenvolvimento, está a produção de apps móveis híbridos – um app construído utilizando tecnologias que os desenvolvedores já conhecem (como Javascript, ou HTML5 e CSS), que são englobadas em uma espécie de container que permite que a aplicação seja executada nativamente em um dispositivo.

Frameworks de desenvolvimento híbrido tem percorrido um longo caminho para diminuir a lacuna entre a performance de um app nativo e a facilidade de desenvolvimento. De certa forma correndo pela borda desse conceito e se saindo bem, temos o React Native do Facebook um framework com UI e performance poderosos que busca seu espaço, sua versão mais recente mudou em vários aspectos, as possibilidades foram estendidas, e inclusive, o build para Android foi implementado. Abaixo, apresentamos um pouco de como essa biblioteca Javascript impressionante está fortalecendo as bases quando falamos de desenvolvimento de apps híbridos.

 

1. Ele cobre IOS e Android, antes não era bem assim…

Inicialmente, o Facebook desenvolveu o React Native com suporte apenas para iOS. Contudo, com a recente liberação do suporte para Android, a biblioteca agora renderiza UIs mobile para ambas as plataformas. O Facebook utilizou o React Native para construir sua própria aplicação de Gerenciamento de Ads, criando versões para as duas plataformas. As duas versões foram desenvolvidas pela mesma equipe de desenvolvedores.

Além disso, o Facebook tornou o React Native open-source com a idéia de que a compatibilidade com outras plataformas como Windows ou tvOS pudessem ser trabalhadas pela comunidade. Então, é bom ficar atento às novidades.

 

2. Componentes reutilizáveis permitem que apps híbridos renderizem de forma nativa

Lá se vão os WebView Components de outras aplicações mobile híbridas. Isso é possível porquê os componentes que a biblioteca dispõe são “componentes nativos” reutilizáveis que compilam diretamente para componentes nativos da plataforma target. Ou seja, componentes que você utilizaria no iOS ou Android existem no React, assim é possível ter uma aparência e experiência muito consistentes.

Essa estrutura baseada em componentes ainda permite que você desenvolva aplicações com mais agilidade, uma abordagem de desenvolvimento semelhante a de outros apps híbridos (web-style), mas sem “web” basicamente. O app terá velocidade, aparência, e funcionalidade de uma aplicação mobile nativa.

 

3. Aplicar os componentes de UI do React Native ao código de um app existente – sem reescrever nada!

Esse é um bônus para quem deseja acrescentar, ou melhorar, um aplicativo existente sem ter o trabalho de refazê-lo. Incorpore os componentes do React Native no código do seu app. Ou, se a sua aplicação híbrida foi construída com Cordova e Ionic, reutilize esse código “cordova-based” facilmente com um plugin.

 

4. É um dos Frameworks Javascript que vem se destacando entre os desenvolvedores – é continua crescendo.

react3

 

Se você sabe Javascript, React Native vai ser fácil de aprender e ele permite que qualquer desenvolvedor web front-end se torne um desenvolvedor mobile. Sem a necessidade de aprender Swift – iOS, ou Java para Android – se conhece, ótimo, se não, aprenda Javascript, alguns elementos de UI nativos, plataformas APIs, e qualquer outra plataforma específica de design patterns e você já está em um ótimo caminho para começar. Além disso, estão incluídos na biblioteca do React Native Flexbox CSS styling, inline styling, debugging, e suporte para deploy tanto para a App Store quanto para o Google Play.

React ainda é novo, mas está crescendo rapidamente e o Facebook já tem diagramado planos para continuar investindo em seu crescimento.

 

5. React Native, o forte aqui é UI!

React Native é focado exclusivamente na construção de uma UI mobile. Se comparado a outros frameworks Javascript como AngularJS ou MeteorJS, o React Native é focado na UI, tornando-o mais uma biblioteca Javascript que um framework em si. O resultado de UI fornecido é altamente responsivo e fluído graças a interações Javascript assíncronas com o ambiente nativo. Isso significa que o app terá um carregamento mais rápido que um app híbrido típico e uma experiência mais suave.

 

6. O desenvolvimento de Apps nativos é muito mais eficiente

Enquanto o desenvolvimento de apps nativos e comumente associado com ineficiência, menor será a produtividade do desenvolvedor e uma lentidão no tempo de deploy, o React Native busca trazer velocidade e agilidade para os campos de desenvolvimento híbrido – com resultados nativos.

Por trás do React Native, está a já conhecida biblioteca de UI do Facebook o ReactJS para desenvolvimento de aplicações web. O React Native traz todas as vantagens para melhora de performance do ReactJS, abstração do DOM, e métodos simplificados de programação para o desenvolvimento híbrido mobile.

 

7. Ele oferece compatibilidade com plugins de terceiros, menos uso de memória, e uma experiência mais suave

Isso significa que você não depende de uma WebView para algumas funções que você precisaria. Por exemplo, se você vai adicionar o Google Maps à sua aplicação, o React Native permite que você insira o plugin a um módulo nativo! AMAZING! Então, você pode linkar o seu mapa com as funções core do dispositivo como zoom, rotação e a bússola, utilizando menos memória e carregando de forma mais rápida. Se o seu app dá suporte para dispositivos e sistemas mais antigos, isso pode ajudar a manter o app rodando de forma suave.

 

Confira aqui o Showcase com apps desenvolvidos utilizando React Native.

 

Quer aprender? Quer saber mais? Quer entrar no jogo? Vamos lá!

Começar com React Native é fácil – especialmente se você ja é “profissa” em Javascript. Entre e faça download do código open-source no Github e garanta que você já esteja acostumado com algumas ferramentas e métodos na biblioteca React Native que ajudam MUITO. É interessante conhecer o NodeJS, o sistema Flexbox de CSS, ECMAScript 6 e JSX, uma extensão a sintaxe Javascript que é parecida com XML e usada para apresentar dados.

Esses são sete motivos pelos quais o React Native vem forte e merece ser ouvido por nós, desenvolvedores. Com mais infos, testes e novidades, retornamos para compartilhar o que vem acontecendo com essa lib (que a gente vem conhecendo e já considera ‘pakas’ haha). É isso ai pessoal, e lembrem-se sempre: Think twice, Code once! See ya folks! 😀